Iracemápolis integra a comitiva para barrar construção do presídio

Autoridades se reuniram ontem com o secretário da SAP.

Para tentar barrar a construção do presídio em Limeira, que deverá ser instalado em uma área próxima a Iracemápolis, uma comitiva formada por prefeitos, vereadores, deputados, delegados esteve ontem (19) em São Paulo para conversar com o secretário da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), Lourival Gomes. O juiz da 2a vara criminal de Limeira e corregedor de presídios, Luiz Augusto Barrichello Neto, também integrou a comitiva.
 
De acordo com o prefeito Valmir Gonçalves de Almeida, a conversa foi dura e o secretário se mostrou irredutível. Além de Iracemápolis, o encontro contou com representantes Americana e Santa Bárbara D’Oeste que não concordam com a construção da penitenciária.
 
O presídio deverá ser construído em área que pertence a Limeira, mas, o prefeito da cidade vizinha, Paulo Hadich, que também fez parte da comitiva, não concorda com o modelo proposto que é o semi-aberto. O Centro de Progressão Penitenciária (CPP) é recusado pelas quatro cidades que foram representadas no encontro com o secretário. “Não podemos admitir que os presos fiquem soltos durante o dia sem ter o que fazer, andando pelas ruas da nossa cidade. Onde vai parar a segurança da população?”, contestou Valmir.
 
Na reunião, o prefeito Valmir também destacou que o Estado não tem o direito de condenar o futuro da cidade. “O desenvolvimento do município está em jogo. Com a vinda das famílias dos presos para Iracemápolis e região, a nossa população se sentirá insegura e pode mudar para outras cidades”, disse o prefeito ao secretário da SAP.
 
Valmir destacou ainda a importância da união com os prefeitos de Limeira e Santa Bárbara D’Oeste. “Essa relação próxima com o Paulo Hadich e Denis Andia deve ser levada em consideração já que estamos unidos em prol a uma mesma causa, o que infelizmente, não ocorreu na gestão anterior”.
 
Mesmo com tantas contestações, o secretário não demonstrou interesse em mudar de opinião e, diante da recusa, a comitiva agora se prepara para um encontro na Casa Civil. “Quero deixar claro que se este presídio for construído e se realmente for adotado o modelo semi-aberto a culpa é do PSDB estadual que está tomando uma decisão arbitrária e indo contra a vontade de quatro cidades”, reforçou.
 
Além do prefeito Valmir, a comitiva também contou com a presença dos vereadores Pedro Marcelo Franco de Campos (Pedrão do Noé) e José Mauri Moreira (Juquinha).

 
Fonte: Assessoria de Imprensa - Prefeitura Municipal
 

Faça sua pesquisa

Pesquisa de Leis e Proposituras

Leis Proposituras Atos da Câmara

TV Câmara

As sessões da Câmara ocorrem todas as segundas-feiras às 19 hrs.

Veja as sessões anteriores